“Um ótimo time não é aquele com as pessoas mais inteligentes. O que torna um time ótimo é que eles confiaram uns nos outros”

O livro “O Projeto Fênix” é uma experiência enriquecedora para entender como boas práticas de outras indústrias são aplicáveis ao TI e a importância de sempre ter uma mente aberta e receptiva. Às vezes, nós pensamos apenas em nossa área de operação, na indústria na qual trabalho ou no departamento do qual somos parte, nós aprenderemos os elementos chaves que contribuem para ótima performance e melhoria dos processos da empresa. Porém, o Projeto Fênix pode quebrar paradigmas e mudar seu mindset. A aplicabilidade e utilidade de certos conceitos adquiridos de outras indústrias como manufatura podem ser a base para formação de novas tendências dentro da indústria de Tecnologia da Informação.

Como construir um fluxo em sinergia para projetos produtivos

Para cada projeto, atividade ou tarefa, deve haver um fluxo dentro dos centros de trabalho, cada membro do projeto deve trabalhar sincronicamente e sequencialmente para entender sua contribuição e papel dentro do time. Para isso, visualização em tempo e forma é vital. É mais simples realizar uma tarefa ou projeto se nós “vemos” o seu progresso, qual atividade é a próxima, quais são as limitações, quais recursos nós temos e o que está pendente. Desta forma, nós poderemos evitar ou minimizar trabalho não planejado, que é nada mais do que aquelas atividades que geram aumento nos custos, tempo e gasto dos recursos em relação a base inicial do plano. Além do mais, isso permite gerar mais valor ao negócio e minimizar o retrabalho causado por falhas ou falta de planejamento.

Melhores práticas e melhorias

Remover gargalos em qualquer processo é vital para garantir o fluxo de trabalho que mencionei acima, exemplos como aquisição de conhecimentos e falta de documentação foram expostos pelo autor e categorizados como potenciais riscos ao negócio, por quê? É simples, isto torna a organização lenta e mais improdutiva. Por isso, boas práticas como constante feedback entre todas as áreas e equipes da empresa, assim como a constante busca por aprendizado e experimentação são os pilares para desenvolver uma cultura de melhoria contínua que encoraja repetição e prática para atingir maestria nos processos. Tendo esta cultura organizacional nós podemos ser mais ágeis em detectar e responder a mudanças de mercado e assim satisfazer as necessidades de nossos clientes de forma efetiva.

Conclusão

Por fim, é crucial compreender que a tecnologia é chave no mundo atual de negócios, não somente para a área de TI, mas para qualquer outra área nas empresas. Além disso, a confiança e transparência nas equipes nos permitem ir de uma visão tática para estratégica, independente do papel que tenhamos dentro da empresa, visto que todos contribuem e são parte dessa engrenagem magnificente e finamente desenvolvida chamada SYKES.

 

Baseado em:

O Projeto Fênix: um Romance Sobre TI, DevOps e Sobre Ajudar o seu Negócio a Vencer

Autores: Gene Kim, Kevin Behr, George Spafford.

Sobre o autor

José Hernández

José Hernández

José Hernández é engenheiro da Universidade Industrial do Santander (UIS) com 3 anos de experiência no departamento de TI e quase 4 anos na SYKES Colômbia. Durante este tempo ele contribuiu na implementação e times suporte e trabalhou junto com outros países da SYKES LATAM. José foi premiado em 2019 como SYKES Top Performer. Ele adora esportes, idiomas, intercâmbio cultural, ambientalismo e causas voluntárias.